23 de julho de 2014

Fora da Maratona do Rio - 2014

Primeiro eu achava que a Copa iria atrapalhar e que a meia cairia melhor.

A inscrição pra meia acabou e eu optei pela Maratona.

Veio a Copa e foi difícil manter o foco.

O joelho apitou e continua apitando.

No final, um evento familiar escolhido a 10 dias da prova, jogou tudo de lado.

Foi até bom, sabe?

Sobra tempo para eu corrigir esse joelhinho.

Ah, anota aí o nome do problema: enfraquecimento do vasto medial.

ABS !!!

21 de julho de 2014

Ruby Muir - a ultramaratonista que corre de Vibram Five Fingers

Ruby Muir, a neozelandesa, ganhou o mundo na Tarawera de 2013, quando venceu a prova de 100K calçando um Vibram Five Fingers.

Nesse link, vc encontra a entrevista que ela deu para o Irunfar e no vídeo abaixo, vemos ela se jogando morro abaixo.

25 de junho de 2014

No meio da Maratona havia uma Copa do Mundo.

Não tá fácil não, ora o corpo não quer mais volume e ora eu não deixo ele descansar.
Como eu previa, treinar para uma maratona, a minha segunda, com uma Copa do Mundo em casa seria complicado. Fora os jogos do Brasil, também rolam os jogos no Maracanã, que eu tenho ido com o meu filho. Até agora, já fomos a dois e temos mais um no sábado.

Fora isso, que significa um monte de coisa para complicar o meio de campo, ainda tem uma viagem a Curitiba no final de semana do maior longo.

Como nada é perfeito, ainda tem o corpo reclamando e o joelho querendo apitar

Ah, ainda esqueci dessa prova de trilha que surgiu no Rio, a Turtle Run.
Ela tem 42kms, coisa grande demais para a primeira, mas eu não arrumei, até agora, ninguém para correr em dupla, tenho que aproveitar essa oportunidade de poder correr em casa.

Correr em trilhas deve ser muito legal, mas custa caro, não apenas pelo custo das provas, mas pelo custo das viagens, hotéis e outras coisas.

Inton-se, o que fazer?
De um lado o diabinho fala e do outro o anjinho.
Ainda não consegui identificar quem é quem.
Mas, parece que largar do Recreio no dia 27/07 não vai rolar.

ABS !!!

18 de junho de 2014

Meu #5 MAF Test, o primeiro platô

Hoje, dia 18/06, fiz o meu primeiro MAF Test.

No final de semana, não pude fazer o longo por problemas familiares, mas na segunda realizei um treino que me deixou bem contente.  Forçava e o batimento custava a subir.

Só que entre o treino de segunda e o teste de hoje, rolou o jogo do Brasil e eu tomei umas cervejas (já arrumei desculpa), com isso ou sem isso, sei lá eu, o resultado foi o primeiro platô depois de 29 semanas.

Isso mesmo, depois de 29 semanas treinando sempre dentro do meu batimento MAF, que é 139, tive o meu primeiro platô e não mostrei avanço em relação ao último teste.

O primeiro platô pode ser um sinal, mas acho que é legal esperar a segunda avaliação com o mesmo resultado para tomar uma ação, que seria a inserção de treinos anaeróbicos.

Segue o meu quadro com a evolução:

Data
1K
2K
3K
4K
5K
13/02/2014
00:07:03
139
00:07:12
138
00:07:14
139
-
-
-
-
13/03/2014
00:06:33
138
00:06:51
139
00:07:03
139
00:07:18
139
00:07:31
140
24/04/2014
00:06:26
135
00:06:38
138
00:06:48
137
00:06:54
139
00:07:02
139
22/05/2014
00:06:06
137
00:06:26
138
00:06:28
138
00:06:35
138
00:06:42
138
18/06/2014
00:06:03
138
00:06:19
137
00:06:26
140
00:06:26
140
00:06:32
138

O próximo teste será no dia 14/07, alguns dias antes da Maratona do Rio, que será no dia 27/07.

ABS !!!

15 de junho de 2014

Fantasiado de trail runner

Trail running tá na moda.
Não só aqui, como em vários países.
Com isso, as pessoas querem cada vez mais parecer com seu ídolos.

Tenho visto no Rio, muitos fantasiados como o Seb.
Nada contra ele, mas acho que não precisa tanto para fazer 30kms na rua.
Apenas, se vc estiver testando algo diferente.



Gostaria de ver mais pessoas se fantasiando como o Dave Mackey.
Esse senhor aí de baixo.
Simples assim.



Ah, me esqueci dos que querem se fantasiar como o Tony Krupicka.
Vixi, usar óculos branco fica bem legal ..., risos ...



7 de junho de 2014

Phil Maffetone no MundoTri

O maior site de triathlon do Brasi, o MundoTRI, fez um post sobre o uso de frequencímetro.
O texto escrito por Mark Allen fala sobre o método de Phill Maffetone.

Como sempre, vale uma lida, porque o Maffetone é o cara.

@ironman.com