7 de março de 2015

Porque cada vez eu corro menos

Porque de alguma forma o meu corpo não suporta só isso.

Porque, anteriormente, eu achava essa foto abaixo muito legal.


Porque, hoje, isso não me parece nada natural.

Temos a capacidade para correr muito, mas ao longo dos anos tenho as minhas duvidas dos resultados no corpo.

A vida livre de planilhas e afins tem me feito bem.
Vivo de uma forma mais relaxada e curto mais a família.

E o melhor de tudo, estou na melhor forma que já tive.

ABS !!!

28 de fevereiro de 2015

Adeus relógio?

Sempre usei relógio, sempre.

Com o lance da corrida e depois com o tri, o lance de estar antenado com o tempo virou uma necessidade, o tempo parecia curto para tudo que eu queria . 

Assim, andar de relógio ficou bacana e fazia todo sentido, porque eu tinha prazos e horários para fazer as coisas que você havia inventado.

Só que nesses últimos dias surgiu uma alergia no meu punho, o direito, onde uso o relógio.

O que isso quer dizer?

Que vou dar adeus ao relógio por um tempo, talvez pra sempre, não sei.
Existem tantos relógios por aí. Na rua, no telefone, no braço dos outros e no computador.
Por que ter um relógio no pulso? Status, necessidade, costume ?

Para piorar a minha situação, o relógio que me acordava parou de apitar.
Não, eu não chegava a dormir de relógio. 
Não porque não quisesse, mas porque no pulso havia o risco de não ouvi-lo.

A ideia é parar por um tempo com o uso dele e ver o que dá.
Nos treinos também. Talvez dê certo ou talvez dê errado, já que os horários pela manhã são justos.

Hoje, fui brincar com a minha filha no play sem relógio, juro que a minha atenção a ela parecia maior. Eu também essa sem celular. Não sei de onde veio isso, talvez eu estivesse me forçando ou talvez seja o resultado de uma vida com menos controle.

Vamos ver como as coisas caminham. Mando notícias.

ABS !!!

31 de janeiro de 2015

O que te parece mais natural?

A cada dia me vejo percebendo mais e mais os movimentos naturais.
Como tenho dois filhos, acompanho o que eles fazem com atenção.
Não para inibi-los, mas para ver o que é natural.

Esses dias, me lembrei de uma foto minha com 3 anos.
O fotografo pediu para eu sentar de chinês e eu na foto apareço reclamando de dor.

Você já viu as crianças sentando?
Elas não sentam de chinês naturalmente. Aquela posição não é natural.

As crianças ou agacham (deep squat) ou sentam com as pernas abertas a frente.
Vejam. Acompanhem.

Por causa dos movimentos naturais e os exercícios sem peso, tenho visitado paginas de Crossfit também. Acho o Crossfit exagerado em seus movimentos e no seu ritmo. Será que lá no passado, nós fazíamos isso para sobreviver? Eu acho que não.

Vejam os dois vídeos abaixo e façam suas avaliações:






16 de janeiro de 2015

De corredor a movedor

Nunca fui muito fã de classificações tipo: maratonista, corredor, triatleta, nadador ou afins.
Essa classificação parece restringir tudo ao redor, como se deixássemos de ser: escovadores de dentes, lavadores de pratos, comedores, beijadores, trepadores, cuidadores, trabalhadores etc ...

A corrida é uma atividade bem interessante, porque é natural.
Mas, quando focamos apenas nela, deixamos de fazer outros movimentos.
Só pensamos nas pernas indo pra frente, nunca pro lado, pra tras, pra cima ou pra baixo.
Perdemos a capacidade de nos movimentar, com a ilusão de que seremos saudáveis só correndo.

Estou generalizando? Não sei.

De uns tempos pra cá, como já falei em uns posts atrás, comecei a ver a corrida com uma parte de um mundo de movimentos. Dando mais atenção a coisas básicas e simples e a força de um modo geral.

Assim, esvazio a minha mente de paces, metas e afins e me preocupo com outras coisas.

Abraços.

26 de dezembro de 2014

2014 e 2015

Esse ano foi diferente dos outros, não corri nenhuma prova e não senti falta.
Vejo umas provas e penso em me inscrever, mas depois penso: Pra que?
De repente, me inscrevo na Meia do Rio porque é uma prova clássica e em um lugar que não dá para correr se não for nela.

Se rolar a Meia da Ponte eu tb posso me inscrever, nunca corri na Ponte Rio Niteroi e deve ser diferente.
Nunca participei dessa prova porque nunca achei graça correr na Perimetral, mas ela foi abaixo, hehehehe.



E 2014?

Acho que me conectei demais no facebook, reduzi o uso, mas acho que me deixei levar demais.
Voltei a acessar o twitter, que é mais informativo e simples.
Larguei de vez a tara em ficar olhando a estatísticas do blog e a coisa está mais natural.
Isso foi ótimo, um grande passo.

Definitivamente, parei com o triatlhon.
É !!! Parei com a natação de vez no dia que cancelei a minha matricula no Clube que fica ao lado do meu trabalho.
Até vendi um palmar bacana que tinha.
O capacete bacana da Specialized tb foi e a MTB tb.
Foi bom, a coisa está mais leve.
Ainda estou com um tênis de trilha para vender também, mas eles ainda não saíram.




Por causa da lesão, comecei a observar melhor meu corpo e as necessidades que estavam escondidas.
Voltei a malhar, mas sem essa de fazer musculação em academia.
Comecei, desde agosto, a fazer exercícios com o peso do corpo.
Em algum momento, vou comentar sobre isso e sobre a evolução.
Gostei muito disso.


Ah e também não poderia de falar sobre a corrida descalça.
Muito bom ela ter entrado na minha rotina.
Simples, prático e rústico.



Se eu fosse fazer uma lista do que mais foi importante, eu diria que a descoberta da Paleo Diet.
Não apenas da dieta, mas de todo um estilo de vida, que de alguma forma vou incorporando a minha vida.
Tudo que listei acima tem alguma relação com isso, sabe?
Barefoot, menos coisas, exercícios com o peso do corpo.
Sem sobras de dúvidas, foi a melhor coisa de 2014.

Saúde !!!!

19 de dezembro de 2014

Como se manter consistente após os 40 - Bronco Billy

Bronco Billy é ultramaratonista americano que corre ultras há 14 anos.
Ele não é o cara que vence todas, mas é o cara que está ali no top10 sempre.



O que eu vi nesse texto dele:
Consistência.
Alongamento.
Musculeba.
Cross Trainning (nem tanto, mas um pouco)



O texto abaixo foi traduzido de forma livre pelo Google, o texto original está aqui (http://www.gobroncobilly.com/running-hard-past-40/)


Ultimamente tenho vindo a refletir sobre a minha formação e como ele evoluiu ao longo dos últimos 14 anos de ultrarunning. A progressão natural da capacidade do organismo para lidar com mais trabalho como tenho treinado de forma consistente, adaptado, treinou mais, adaptado - e assim por diante. Isto é tudo na vanguarda da minha mente enquanto eu estou tentando completar quatro 100 milhas nesta temporada (além de alguns outros ultras mais curtos fique também). Desde que fiz 40 há alguns anos atrás (eu estou girando 43 este verão), eu estou tentando me certificar de que fazer as coisas pequenas em cima de simplesmente correr muito. As pequenas coisas ...



Força, core e cross-trainning. Sendo corredor veterano (40+), eu descobri que eu preciso para misturar de forma consistente no treinamento de força e tempo na minha bicicleta para manter a forma, forte e não cair na armadilha do excesso de treinamento. Além disso, ele mantém o frescor de treinamento. Um fator importante quanto mais eu tento treinar duro e competir. Por muitos anos, eu fiz pouco, mas de execução. No entanto, eu descobri que a moto e força, se utilizado de forma estratégica, trabalhar synergystically com meu regime de execução.

A outra coisa é ter certeza que as corridas são fáceis super fácil. Agora que os meus dois filhos mais velhos são capazes de se juntar a mim para 2-4 milers, nós levar o cachorro para fora e um cruzeiro ao redor. Geralmente é a minha segunda corrida do dia, o que me permite relaxar e desfrutar correndo 9-12 ritmo minutos e desfrutar da minha crianças energia (desde que eu já "treinado" no início do dia).



Com uma carreira movimentada que muitas vezes me coloca em mais de 40 horas por semana, mais tempo para a família, tudo isto pode ser um ato de malabarismo big-time. Mas, o que significa corridas longas não são importantes apenas para a preparação de corrida real, torna-o também importante para um alívio do estresse a cada semana. A hora de ir correr nas montanhas e limpar a minha cabeça de prazos e responsabilidade por algumas horas. Apenas os bosques, a trilha e descobrir que o ritmo simples que corrida em montanha traz.

Eu tive um monte de corredores de me perguntar como faço para equilibrar corridas e competir com um emprego a tempo inteiro, 3 filhos e uma esposa. Resposta curta: Descobrir como incorporar o treinamento em sua vida, em vez de separar os dois. Por exemplo, bicicleta transporte para o trabalho ou conseguir uma segunda corrida do dia com as crianças durante o exercício o cão. A proverbial matar dois coelhos com uma cajadada só. E, às vezes, bem, eu só tenho que correr às 11h com um farol para caber tudo.



Aqui está uma olhada no treinamento da semana passada ...

segunda-feira

AM: Bicicleta comutar seis minutos para o trabalho (1,25 km)
Meio-dia: Almoço de 10 milhas run w / tempo por 7 quilômetros de que com o tempo de subida julgamento no treino tempo (1000 'de escalada)
PM: Noite bicicleta trajeto nove minutos de casa (1,25 mi w / 250 'escalada na última meia milha)
PM: Easy 3/2 milha shake-out partem com crianças e cão antes do jantar
PM: 5 minutos de yoga / força / alongamento de rotina antes de dormir (cão para baixo - prancha - flexões; reps controlados super slow; end com pose do pombo e os movimentos de estiramento estocada)

terça-feira

AM: trajeto da bicicleta de 6 minutos para trabalhar
Meio-dia: Almoço de 10 milhas dia ritmo fácil Hill (1400-2000 'de escalada)
PM: Noite bicicleta trajeto nove minutos de casa
PM: Easy 3/2 milha shake-out partem com crianças e cão antes do jantar
PM: 5 minutos de yoga / força / alongamento de rotina antes de dormir (cão para baixo - prancha - flexões; reps controlados super slow; end com pose do pombo e os movimentos de estiramento estocada)

quarta-feira

AM: trajeto da bicicleta de 6 minutos para trabalhar
Meio-dia: Almoço de 10 milhas estado estacionário grupo almoço run
PM: Noite bicicleta trajeto nove minutos de casa
PM: Easy 3/2 milha shake-out partem com crianças e cão antes do jantar
PM: 5 minutos de yoga / força / alongamento de rotina antes de dormir (cão para baixo - prancha - flexões; reps controlados super slow; end com pose do pombo e os movimentos de estiramento estocada)

quinta-feira

AM: trajeto da bicicleta de 6 minutos para trabalhar
Meio-dia: Almoço de 10 milhas run intervalo (combo de apartamentos e das montanhas; 90 intervalos de segundos)
PM: Noite bicicleta trajeto nove minutos de casa
PM: Easy 3/2 milha shake-out partem com crianças e cão antes do jantar
PM: 5 minutos de yoga / força / alongamento de rotina antes de dormir (cão para baixo - prancha - flexões; reps controlados super slow; end com pose do pombo e os movimentos de estiramento estocada)

sexta-feira

AM: Long Run - trail de 18 a 25 milhas funcionada nas montanhas com muita escalada
PM: Easy 3/2 milha shake-out partem com crianças e cão antes do jantar (por vezes uma caminhada da família)
PM: 5 minutos de yoga / força / alongamento de rotina antes de dormir (cão para baixo - prancha - flexões; reps controlados super slow; end com pose do pombo e os movimentos de estiramento estocada)

sábado

AM: Dawn Patrol 1-2 horas passeio de mountain bike (às vezes isso acaba sendo um passeio de sábado à noite, após as crianças estão na cama, se os compromissos familiares interferir)
PM: Easy 3/2 milha shake-out partem com crianças e cão no tarde (às vezes uma caminhada da família)
PM: 5 minutos de yoga / força / alongamento de rotina antes de dormir (cão para baixo - prancha - flexões; reps controlados super slow; end com pose do pombo e os movimentos de estiramento estocada)

domingo

AM: trail run 7-12 milhas, ritmo fácil (ou resto dependendo ciclo de treinamento)
PM: Easy 3/2 milha shake-out partem com crianças e cão antes do jantar (por vezes uma caminhada da família)
PM: 16 minutos de treino BB Power Pack força (carga muscular constante treino de corpo inteiro com halteres, inclui o trabalho do núcleo, flexões e pullups)



  TOTAL = 79,6 milhas correndo w / 13.928 pés de escalada; 27,5 milhas de ciclismo; 46 minutos de força / alongamento

13 de dezembro de 2014

The Zen of Running

Livro antigo, com um tema pertinente.
Vale dar uma lida e pensar como levamos essa nossa paixão.
Levamos tudo muito a sério?
Até que ponto estamos impactando negativamente nossos corpos?

Temos saúde correndo?

http://www.naturalhealthyellowpages.com/health_ebooks/the_zen_of_running/zenofrunning-672gxrtekj78q2.pdf

ABS !!!!

10 de dezembro de 2014

Livre, leve e solto.

Eu, o relógio, o short e a camiseta presenciamos a melhor corrida dos últimos meses.
O pé aos poucos se adapta ao piso e as pedrinhas.
A pele não engrossa, ela amacia.

Na Praia de Botafogo eu deslisava sobre o piso de concreto.
O pensamento ia longe.

Voltei achando que o relógio e a camiseta estava sobrando.

Viva a liberdade de apenas correr.